Em menos de um mês Guarda Municipal faz 16 operações na linha Alferes Poli

Em menos de um mês, a Guarda Municipal (GM) de Curitiba deflagrou 16 operações na linha de ônibus Alferes Poli, como forma de inibir os chamados fura-catraca – pessoas que entram no transporte coletivo sem pagar a passagem.

No período, 217 pessoas foram abordadas no ônibus que faz o percurso entre o bairro Parolin e o Centro da cidade. Apenas cinco delas pagaram a passagem. Os demais tiveram que continuar o trajeto a pé, após parada do veículo por guardas do núcleo Matriz.

Dois simulacros (protótipos) de arma de fogo e pequenas quantidades de maconha e cocaína, em oito oportunidades, foram encontrados embaixo dos bancos do ônibus e, também, após revista pessoal aos passageiros. Oito pessoas foram conduzidas às autoridades policiais. 

Esses flagrantes, de acordo com o inspetor Vanderson Cubas, responsável pelo núcleo regional da Matriz da Guarda Municipal, evidenciam que não é somente a questão dos fura-catraca que marca o trajeto da linha Alferes Poli, mas também situações relacionadas a indivíduos que podem praticar algum crime.

Ação integrada

A iniciativa atende a pedido da Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs), responsável pelo sistema de transporte na capital.

“As ações preventivas e ostensivas na linha Alferes Poli não têm prazo de término e continuarão ocorrendo em dias e horários diversos”, reforça o inspetor Cubas.

O cidadão que quiser repassar informações sobre possíveis fura-catraca ou necessite de qualquer atendimento imediato dentro do transporte coletivo (como em casos de furto ou importunação sexual), em qualquer região da cidade, pode ligar para o telefone de emergência 153 da Guarda Municipal. A equipe de guardas mais próxima do local irá averiguar a situação e abordar pessoas suspeitas.

Informações da Prefeitura de Curitiba