Gaeco cumpri quatro mandados de busca e apreensão na fronteira

A ação em Foz do Iguaçu é um desdobramento de um trabalho realizado pela cidade de Londrina a pouco mais de 500 quilômetros da fronteira

Duas viaturas do choque da Polícia Militar pararam na frente do Ministério Público Estadual onde fica a sede do Gaeco, grupo de atuação especial de combate ao crime organizado, alguns policias seguem para dentro do prédio e em menos de dez minutos as equipes alinharam os detalhes e antes das seis horas da manhã saíram do prédio. O Gaeco seguiu com viaturas descaracterizadas, o grupo foi dividido e nós acompanhamos a equipe que partiu com o apoio do choque. Eles seguiram pelas ruas da cidade, passando pela Avenida José Maria de brito, entrando na avenida JK em direção a Tancredo Neves, logo depois as equipes entram em direção ao Jupira, seguiram pela Avenida República do Líbano, passando por algumas ruas do bairro até parar em uma travessa. Rapidamente os policias desceram do carro.

No local as equipes fizeram alguns questionamentos aos moradores, um policial do Gaeco desceu com uma espécie de envelope, enquanto a abordagem era feita um policial do choque observava o local, perto dali outra casa também foi alvo dos trabalhos.

Um dos alvos da operação foi preso na rua logo de madrugada pela Guarda Municipal. O objetivo da ação é para desarticular uma organização criminosa. As investigações são comandadas pelo núcleo regional do Gaeco em Londrina. Em 2019 e 2020 os investigadores já estavam na cola dos criminosos, os trabalhos continuam.

Veja mais detalhes sobre este caso na reportagem completa do Tribuna da Massa Foz do Iguaçu e região desta sexta-feira (12):