Novidades do atropelamento da travesti em Cambé

Após as primeiras imagens divulgadas desse atropelamento na avenida Francisco Delgado Sanches, as pessoas da região do Jardim Tupi em Cambé ficaram alvoroçadas. Nenhum vizinho quis gravar entrevistas pois não quer se indispor nem com a vítima que foi atropelada, nem com o condutor do veículo. 

Segundo informações, os dois moram na região e um não conhece o outro, porém segundo o que a travesti disse aos vizinhos, ela acredita que seja um crime de homofobia porque ela seria uma pessoa muito ativa nas redes sociais e poderia ser algum tipo de represália. Outra informação que foi pulverizada pela região, é de que o motorista teria trabalhado por três noites seguidas e estava sem dormir e quando pegou o carro, cochilou ao volante e acabou a atropelando. Segundo a versão do motorista que ainda não foi confirmada, ele imaginou que teria atropelado um cachorro e fugiu. Algumas pessoas que passavam pelo local no momento do atropelamento seguiram o carro e conseguiram anotar a placa e logo depois repassaram para a polícia. 

O carro foi apreendido, porém o condutor do veículo não foi encontrado na casa onde estava o carro, ele teria deixado o veículo na casa de parentes, entretanto ele já teria entrado em contato com o Doutor Paulo responsável pela delegacia de Cambé, para marcar o depoimento e prestar esclarecimento.

Para ver mais informações sobre este caso, assista reportagem completa do Tribuna da Massa Londrina desta segunda-feira (11):