Velório da atriz Claudia Jimenez é marcado por emoção e homenagens

O velório da atriz Claudia Jimenez, no Rio de Janeiro, foi marcado por muita emoção e homenagens. O corpo, depois, foi cremado. A artista, que morreu aos 63 anos, interpretou personagens que significam um grande legado para o humor brasileiro.

Uma coleção de personagens inesquecíveis. Cacilda, da Escolinha do Professor Raimundo, era a preferida da atriz, mas quem nunca rolou de rir com a Edileuza de Sai de Baixo? Desde cedo, Claudia Jimenez percebeu que poderia transformar o preconceito na difícil arte de fazer rir. “Eu sofri muito na época da adolescência porque os meninos não queriam dançar comigo; eu lembro que tinha festa junina na minha rua, na hora de escolher os pares na festa, ninguém queria dançar comigo, era uma tristeza isso. Mas, profissionalmente, muito pelo contrário. Eu costumo dizer que a gordinha já dá de dez a zero nas outras atrizes, por causa da empatia”, pontou em determinada ocasião.

Foram mais de 30 anos encantando o telespectador e também o público do teatro e do cinema, que lhe rendeu prêmios pela Beatriz de O Corpo. “Uma alegria na vida da gente. Sempre que a gente se encontrava, era uma festa, uma brincadeira, uma gargalhada”, disse o ator Paulo Vilhena.

Claudia Jimenez estava internada em um hospital particular na zona sul do Rio e morreu no início da manhã deste sábado. A atriz começou a enfrentar uma série de problemas de saúde desde que foi diagnosticada com um câncer no tórax, em 1986. Há 23 anos, ela teve um infarto. Passou por cirurgias para a colocação de pontes de safena e um marca-passo. Foi quando gravou um vídeo para uma campanha da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), no qual diz: “mantenha seu coração no ritmo. Você só tem ele. E sem ele não há vida”.

E a vida, durante uma década, foi compartilhada com Stella Torreão. A ex-companheira escreveu numa rede social: “Claudia, amor da minha vida, faria tudo de novo”. Com o ator, escritor e diretor Miguel Falabella, uma amizade de45 anos, recheada de parcerias nos palcos e na TV. “Olha, o legado dessa garota que venceu todos os preconceitos, venceu todas as dificuldades, que se impôs com um talento absurdo. Então, merece todas as homenagens”, afirmou.

Informações de SBT News