Júri de acusados de matar empresário carbonizado começa nesta quarta-feira

A partir desta quarta-feira (3) começa o julgamento dos réus acusados de matar o empresário George Humberto Bini, encontrado carbonizado perto da Rodovia dos Minérios, em Almirante Tamandaré, na manhã do dia 29 de agosto de 2019.

Serão julgados: a namorada de Bini, Sandra Mara dos Santos Faria; o ex-marido de Sandra, Antônio Carlos Faria Sobrinho; amiga de Sandra, Iracema Stresser; e o suspeito de matar Bini, Eder Grumont.

Na época do crime, Sandra e Antônio foram presos e admitiram participação no homicídio. Eles teriam planejado a ação que resultou na morte do empresário.

De acordo com as investigações, Sandra e Bini estavam juntos há oito meses quando a morte foi premeditada. No entanto, ela mantinha contato com o ex-marido.

Eder foi contratado por R$ 5 mil, para “assustar” Bini. A amiga de Sandra, Iracema, foi a responsável por fazer a ponte dos dois.

O julgamento pode durar até sexta-feira (5).

O crime

Na noite do crime, Sandra teria dopado o namorado com um sonífero, comprado por Antônio. Depois que o empresário dormiu, Antônio foi até o local acompanhado de Eder.

Eder teria agredido a vítima com uma barra de ferro. Depois, os três levaram o corpo de Bini para uma região próxima à Rodovia dos Minérios, onde atearam fogo no veículo e no empresário. A casa de Bini também foi queimada.

Sandra alega que Bini era violento. Em entrevista coletiva, o delegado Thiago Dantas disse que um dos suspeitos afirmou que o empresário era muito ciumento e que Sandra queria se separar do namorado, por isso pediu ajuda para o ex-marido.

Na época, Sandra chegou a fazer um boletim de ocorrência relatando o desaparecimento do marido, mas logo se tornou suspeita.