BRDE está habilitado para operar em programa emergencial de crédito para pequenos e médios empreendedores

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) é uma das 40 instituições financeiras habilitadas para operar o programa emergencial de crédito reaberto até 2023. Lançado durante a pandemia com o objetivo de facilitar o acesso ao crédito, o programa agora inclui Microempreendedores Individuais (MEIs) e Microempresas, com recursos de R$ 1 mil a R$ 10 milhões.

O Programa Emergencial de Acesso a Crédito (FGI PEAC), em sua modalidade de garantias, foi criado em 1º de junho de 2020, com a Medida Provisória 975, convertida na Lei 14.042, em agosto daquele ano. Em abril de 2022, a Medida Provisória 1.114/22 instituiu sua reabertura, sendo possível fazer contratações de novas operações até 31 de dezembro de 2023.

“A novidade na reabertura é a inclusão dos MEIs e a exclusão de grandes empresas, ou seja, houve a redução daqueles que tomam mais recursos e a inclusão dos que tomam menos recursos, mas com uma maior quantidade de operações”, explica o superintendente do BRDE, Paulo Cesar Starke.

As condições de financiamento contam com um prazo de pagamento de até 60 meses e carência entre seis e 12 meses. A cobertura estabelecida pelo programa é de 80% do valor do contrato. Segundo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a estimativa é de viabilizar R$ 22 bilhões em novas operações de crédito para MPMEs e MEIs por meio das 40 instituições habilitadas até o final do período de vigência do programa.