Crise hídrica e agravamento da seca reforçam importância de linhas de transmissão

Um amplo relatório climático divulgado pela ONU, chamado ‘Declaração da OMM sobre o estado do clima global’ mostra que vários recordes de calor foram quebrados nos últimos anos e décadas. E os impactos das mudanças climáticas colocam estados brasileiros, novamente, em emergência hídrica.

Conforme o relatório do Sistema Nacional de Meteorologia, as perspectivas climáticas indicam que nos próximos meses haverá o período de menor volume de chuvas na região central do país. Com o agravamento da situação, o Governo Federal emitiu alerta para economia dos estoques dos reservatórios.

A intensificação dos períodos de seca reforça ainda mais a importância das Linhas de Transmissão e Subestações de energia. Elas são vitais em momentos como esse, quando a água, principal fonte de geração de energia na matriz brasileira, se torna escassa.

No Paraná, a implantação do Sistema de Transmissão Gralha Azul, que conta com 15 linhas de transmissão e 10 subestações em 1.000km de extensão, segue a todo vapor. O empreendimento já tem 90% das obras concluídas e deve ser inaugurado no mês de setembro, possibilitando maior estabilidade para os Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Ao todo, o projeto conta com R$ 2 bilhões investidos pela ENGIE Brasil Energia, cuja estratégia é continuar fomentando a infraestrutura e ampliando seu portfólio de geração a partir de fontes renováveis.

Para mais informações, acesse: www.sistemagralhaazul.com.br