Ação integrada já fiscalizou mais de 1,3 mil estabelecimentos em Curitiba neste ano

A Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) vistoriou mais de 1,3 mil estabelecimentos em Curitiba em 2022. Entre janeiro e outubro foram 190 operações que resultaram no fechamento de 350 locais e na abordagem de 627 pessoas.

Durante o período, participaram da ação as polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal e secretarias municipais de Curitiba, especialmente Urbanismo, Meio Ambiente, Vigilância Sanitária e Trânsito. Ao longo dos dez meses, as forças emitiram 1.511 autuações administrativas e fecharam 351 locais ao constatarem irregularidades.

Os principais pontos fiscalizados foram bares, restaurantes, lanchonetes, lotéricas e tabacarias. Além destes, casas de apoio, clínicas, postos de combustíveis, centros comerciais e quaisquer espaços que envolvam comércios e a aglomeração de pessoas passaram por vistorias.

Das pessoas abordadas, 206 foram presas, e 287 menores apreendidos. Além disso, mais de 600 veículos foram vistoriados, 2.715 autos de infração de trânsito lavrados e 251 veículos recolhidos. Os agentes da Aifu também apreenderam quatro armas de fogo, drogas, 241 máquinas caça-níqueis, 85 máquinas do jogo do bicho, mais de 4,8 mil essências para narguilé e 2,3 mil cigarros eletrônicos.

O comandante da Aifu, capitão Fabrício Baran Carvalho, avaliou que os números atingidos desde o início do ano foram significativos. “Consideramos este um resultado expressivo que demonstra a atuação das forças de segurança na garantia do bem-estar da comunidade que frequenta ou reside próxima a estes locais”, afirmou. Ele ainda reforçou que as operações são feitas todos os dias, em horários diversos, e levam em consideração as denúncias feitas pela população, assim como levantamentos promovidos pelas equipes de fiscalização.

As inspeções costumam ocorrer mais frequentemente em locais reincidentes no descumprimento de ordens dos agentes ou que onerem o sistema de segurança, causando prejuízo à ordem pública. As principais demandas relacionam-se ao contrabando e descaminho (cigarros, bebidas, essências de narguilé, cigarros eletrônicos), jogos de azar (jogo do bicho e caça-níqueis), uso e tráfico de drogas, perturbação do sossego (som alto, algazarra, com a obstrução de passeios e vias), irregularidade nas licenças de funcionamento (alvarás), irregularidades de segurança e prevenção de incêndios, irregularidades sanitárias na manipulação e conservação de alimentos e equipamentos gerando graves riscos à saúde.

COMO DENUNCIAR – As denúncias para a Aifu podem ser feitas pelos canais públicos já conhecidos, como 156 e 181, assim como pelo email [email protected]

As informações são da AEN.