Corredor de árvores em Curitiba valoriza imóveis da região

Na virada da estação, a Rua Deputado Heitor Alencar, localizada entre os bairros do Mossunguê e Ecoville, em Curitiba, ganhou destaque nas redes sociais. O motivo: um belo corredor vermelho, formado pelo amadurecimento das árvores “liquidambares”, plantadas pela prefeitura da cidade no início dos anos 2000.

Entretanto, não é de hoje que a natureza é um dos grandes diferenciais do Ecoville. De acordo com o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), a média de espaço verde por habitante no Ecoville é de 113,49 m², superior à da cidade que é de 58 m² por habitante. Esse fator tem influenciado a concepção dos empreendimentos imobiliários da região, que usam a natureza como propaganda.

“Nunca se falou tanto sobre a importância em valorizar o ambiente caseiro e em trazer o verde da natureza para o nosso dia a dia. A sensação de bem-estar e a qualidade de vida já são comprovadas cientificamente. As pessoas estão passando mais tempo em casa, então deve ser um refúgio com qualidade de vida”, comenta o arquiteto Luiz Mori Neto.

Um dos imóveis da região, que carrega o projeto arquitetônico de Neto, traz o conceito de mansão suspensa. O destaque fica pelo uso de esquadrias com grandes vidros nas janelas e persianas integradas pelo lado interno. Olhando de fora, é criada a sensação de se estar em uma casa dentro de um bosque.

Foi esse fator que chamou a atenção de um dos futuros moradores do bairro. O médico Alexei Der Bedrossian afirma o fato de o Ecoville estar entre os mais arborizados de Curitiba influenciou diretamente no investimento.

Segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi-PR), em parceria com a BRAIN Inteligência Corporativa, a venda de imóveis novos em Curitiba cresceu mais de 40% nos dois primeiros meses de 2021, em comparação ao mesmo período do ano passado.