Quase sem voz, Elba Ramalho emociona em Curitiba e revela cura do câncer

Nem mesmo uma garganta inflamada foi capaz de tirar o brilho da apresentação de Elba Ramalho durante o espetáculo O Grande Encontro, que reúne a cantora com os amigos Alceu Valença e Geraldo Azevedo. Os ícones da música popular brasileira (MPB) fizeram a plateia dançar ao som de forró e baião entre as poltronas do Teatro Positivo, em Curitiba, na noite desta sexta-feira (2).

Uma das primeiras surpresas da noite veio logo após o trio cantar a primeira música da noite, Anunciação. Elba pediu para conversar com o público e, nitidamente rouca, contou que decidiu se apresentar mesmo não conseguindo atingir todos os tons de suas músicas. Segundo a artista, ela perdeu a voz ao se apresentar sob um frio de 5°C em Vitória da Conquista (BA) no último dia 26, além da cansativa rotina de shows que vem fazendo desde junho.

Ovacionada pelo público pelo esforço em subir ao palco mesmo com a saúde debilitada, houve um momento ainda mais emocionante quando a cantora voltou aos palcos, após a apresentação solo de Geraldo Azevedo. A cantora de 71 anos revelou que descobriu um câncer no pulmão recentemente e anunciou que está curada da doença, ao som de aplausos e gritos dos fãs – essa foi a primeira vez que Elba falou sobre o assunto em público.

Tudo começou quando a cantora contraiu covid-19 em 2020 e fez exames para avaliar a situação dos pulmões. Os médicos descobriram um nódulo em um dos órgãos e, após exames mais detalhados, confirmaram que se tratava de um tumor maligno.

Elba também lembrou que já teve um câncer de mama há mais de 12 anos e se surpreendeu quando foi diagnosticada novamente. “Mas a boa notícia é que não tenho mais câncer de pulmão. A boa notícia é que Deus opera milagres”, celebrou a artista. Ela comenta que não chegou a fazer radioterapia ou quimioterapia, mas tomou dois comprimidos durante alguns dias e, na sequência, foi submetida a uma cirurgia para remoção do tumor.

O Grande Encontro

Apesar de estar rouca e não alcançar algumas notas, Elba fez o show mais emocionante da noite, com a plateia cantando a plenos pulmões grandes sucessos da música brasileira. Quando a voz ameaçava falhar, ela chamava a plateia para cantar com ela. Resultado: um coral com centenas de pessoas ajudando a artista a finalizar o show sendo aplaudida de pé.

Antes dela, Geraldo Azevedo já tinha trazido seus grandes sucessos ao palco do Teatro Positivo. O público dançou ao som de Moça Bonita e Dona da Minha Cabeça, mas o grande momento foi o ‘duo’ entre Geraldo e o público na emocionante Dia Branco. O cantor de 77 anos também cantou algumas músicas com Elba antes de deixar o palco para a amiga.

Para encerrar a noite, Alceu Valença trouxe o forró e o baião para levantar quem ainda conseguia ficar sentado em meio à festa que a apresentação se transformou. La Belle de Jour, Girassol, Coração Bobo e Morena Tropicana foram cantadas em uníssono para encerrar uma noite mais do que especial, uma verdadeira homenagem à MPB.