Parque Nacional do Iguaçu credencia visitantes para observação de aves

O termo birdwatching surgiu na América do Norte, no início do século 20, definido como o hobbie de observar pássaros em seu habitat natural, sem alterar o ambiente ou o comportamento em que vive. No Brasil, a “observação de aves”, foi traduzida por observadores como uma ação de “passarinhar”.

O Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, possui alta representatividade de biodiversidade da Mata Atlântica e mais de 340 espécies de aves, muitas raras e ameaçadas de extinção. O local reforça o convite aos guias de turismo, educadores, pesquisadores e para quem já é observador, para experimentar “Passarinhar no Parque!”

O credenciamento de pessoas físicas interessadas em realizar a prestação de serviços de condução de visitantes observadores de aves no Parque Nacional do Iguaçu está aberto. A habilitação deve ser solicitada a qualquer momento, por meio do portal do Governo Federal.

O cadastro oficial é destinado aos guias de turismo e outros profissionais que estão interessados em prestar o serviço de condução de observadores de aves, com fins comerciais e/ou educativos, ou simplesmente com o objetivo de disseminar a cultura de passarinhar e formar novos observadores.

Os condutores autorizados terão autonomia para realizar a atividade em qualquer horário ou polo de uso público do parque, com agendamento prévio, a partir dos municípios de Foz do Iguaçu, Serranópolis do Iguaçu, Céu Azul e Capanema. E nas trilhas de Serranópolis e Céu Azul, a visitação é gratuita.

Todos os interessados podem encaminhar a documentação necessária por meio do portal. A lista de habilitados estará disponível, após a emissão da autorização, e poderá ser consultada no Centro de Visitantes, na sede do parque ou nos canais de informação.

Informações do Parque Nacional do Iguaçu