‘Perfil frio’, diz delegada sobre mãe que matou os filhos e conviveu com os corpos por quase 15 dias

A Justiça decretou nesta segunda-feira (29) a prisão preventiva da mulher suspeita de matar os filhos de três e dez anos em Guarapuava, no Sul do Paraná. Eliara Nardes, de 31 anos, foi presa em flagrante no último sábado (27) e confessou o crime.

Segundo as investigações, a mulher disse que matou as crianças no dia 13 de agosto. Ela deixou os corpos em cima da cama e seguiu morando no apartamento até ser presa, duas semanas depois. A polícia teria sido informada sobre o crime a partir do contato de um advogado de Santa Catarina. Os policiais foram até o local e encontraram as vítimas, o menino de três anos e a menina de dez, sem vida.

De acordo com a delegada Ana Hass, responsável pelo caso, Eliara apresentou o perfil de seruma pessoa fria, por ter convivido com as crianças mortas normalmente por duas semanas:

“O fato de você permanecer dentro de um ambiente onde estão dois cadáveres, sendo duas crianças e seus próprios filhos, leva a crer realmente que é um perfil totalmente dissimulado”.

A delegada ainda afirmou que, durante o tempo que Eliara ficou com os corpos, ela redigiu cartas justificando o crime, estudando versões para apresentar para as autoridade: “Ela se justificou sempre culpando terceiros e se colocando do lugar de vítima”.

Eliara teria afirmado quando foi presa que matou os filhos porque não tinha condições financeiras de cuidar das crianças. A versão, porém, foi descartada, porque a mulher declarou ganhar R$ 3 mil reais por mês e recebia pensão do pai do menino. Além disso, segundo a delegada, as investigações observaram que Eliara andava sempre maquiada, usava cosméticos e as crianças estavam sempre ‘bem-apresentadas”.

O menino teria morrido após ser asfixiado com o travesseiro. Já a menina foi enforcada com um cachecol. A mulher deve responder por homicídio, ocultação de cadáver e fraude processual.