Neve, chuva congelada e geada negra: o que esperar da frente fria que chega ao Paraná

Moradores de praticamente todas as regiões do Paraná já começaram a sentir nesta segunda-feira (16) a mudança no tempo que vai se intensificar durante a semana em toda a região sul. Já partir desta tarde, as temperaturas começaram a cair graças à influência de um ciclone extratropical que vai atingir o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, principalmente, mas também terá efeitos no Paraná.

Com o tempo virando e a previsão de termômetros marcando perto do 0°C em algumas regiões do Estado, muitos já estão se perguntando sobre o risco de geadas e até queda de neve.

Vai nevar no Paraná?

A resposta mais provável para essa pergunta é ‘não’. Isso porque a possibilidade de neve está prevista apenas para as serras gaúcha e catarinense, de acordo com o Simepar. Por aqui, apenas cidades mais localizadas ao sul, como Palmas e Clevelândia, podem presenciar o fenômeno conhecido como ‘chuva congelada’. Mas o próprio Simepar esclarece que o monitoramento das próximas horas permitirá responder a essa pergunta com mais clareza.

Quais as chances de ‘geada negra’?

Também é grande a preocupação de agricultores com relação à ocorrência de geadas e do fenômeno mais agressivo, chamado de ‘geada negra’, que causa a queima das plantações de maneira irreversível e traz prejuízos milionários para a economia do Estado.

De acordo com o Simepar, as chances desse tipo mais agressivo ocorrer nas regiões mais orientais do Estado é grande principalmente nos próximos dois dias. Nas regiões Sul e Leste, os ventos fortes inibem a formação do gelo, mas aumentam as possibilidades da geada negra.Na região Norte, onde as temperaturas ficarão perto dos 5°C, há o risco das geadas mais ‘tradicionais’.

Ciclone extratropical

O fenômeno que vai atingir os estados mais ao Sul do país se formou graças ao sistema de baixa pressão que se formou próximo da costa litorânea do Rio Grande do Sul. Esse sistema já se intensificou na costa gaúcha e dará origem ao ciclone extratropical que vai atuar também perto da divisa com Santa Catarina, o que indiretamente também influencia no tempo no Paraná.

Isso porque ele ajuda as rajadas de vento a entrarem no estado, facilitando o ingresso do ar mais frio e derrubando as temperaturas. Justamente por causa dos ventos, a sensação térmica deve ser ainda mais baixa principalmente entre terça (17) e quarta-feira (18), quando as menores mínimas estão previstas para todo o Estado, embora a frente fria não devia ir embora antes de sexta-feira (20).

As temperaturas mais baixas estão previstas para as regiões centro-sul do Paraná, e também para a área leste, entre os Campos Gerais e a região metropolitana de Curitiba. Para essas cidades, a tendência é de uma virada de terça para quarta bastante gelada, com o amanhecer ainda mais frio.