Restriçõs à Covid-19 impactam comemorações da tradicional festa judaica Purim

Por Dan Williams

JERUSALÉM (Reuters) – As restrições à Covid-19 reduziram as comemorações do festival de fantasias judaico Purim, com a polícia israelense impedindo festas e alguns rabinos pedindo às pessoas que não bebam muito para manter o distanciamento social.

Extraído do relato do bíblico Livro de Ester de como os judeus foram poupados do genocídio na antiga Pérsia, Purim é comemorada com o uso de todos os tipos de fantasias elaboradas, doação de comida para festas e muita bebida.

Mas, neste ano, Israel –que começou a sair de seu terceiro lockdown nacional em 21 de fevereiro– reimpôs toques de recolher noturnos para o fim de semana prolongado de Purim e acesso limitado a Jerusalém.

As festas de Purim foram proibidas, com multas para quem as organizasse. Isso estimulou comemorações espontâneas de rua em Tel Aviv. O comandante da polícia, Ziv Saguy, disse que a corporação estava aplicando 200 multas por hora.

Longos engarrafamentos se formaram na estrada para Jerusalém, enquanto a polícia tentava impedir que grandes grupos chegassem à cidade sagrada para o festival. Algumas pessoas abandonaram seus veículos e caminharam pela rodovia.

Beber em excesso é uma parte importante do festival, mas vários líderes judeus ultraortodoxos colocaram um anúncio de primeira página em um jornal comunitário pedindo um Purim mais abstêmio neste ano.