Ambientes internos com incidência solar garantem otimização energética para edifícios

Valorizar a luz natural tem sido uma tendência na construção civil. Isso porque a iluminação solar é uma forma de levar benefícios à saúde dos moradores e frequentadores e garantir mais sustentabilidade aos empreendimentos, ainda mais no Brasil. Segundo o Atlas Brasileiro de Energia Solar, o país recebe grande quantidade de irradiação solar, com mais de três mil horas no ano. Isso equivale à luz solar diária de 4.500 a 6.300 Wh/m².

Por essa razão uma construtora de Curitiba tem apostado em empreendimentos residenciais e comerciais com estruturas que favoreçam a entrada de luz natural nos ambientes.

É o caso de dois edifícios na capital. Na área de comercial, o AR3000, localizado no bairro Juvevê, possui fachada envidraçada, que valoriza mais a entrada de iluminação solar. Os vidros insulados com low-e e gás argônio do empreendimento garantem também eficiência energética e conforto aos usuários.

Quando o assunto são os edifícios residenciais, está em obras no bairro Ecoville o Seventy Upper Mansion, com previsão de entrega para dezembro de 2022. O empreendimento contará, nas suítes dos apartamentos, com esquadrias com vidros insulados de controle térmico e acústico. As plantas do edifício foram concebidas com a previsão de entrada máxima de luz natural nos ambientes. Outra característica é o rooftop de uso comum dos moradores.

Segundo o engenheiro civil Maurício Wildner da Cunha, da Construtora Andrade Ribeiro, valorizar a entrada da iluminação natural nos empreendimentos imobiliários tem sido importante em diferentes aspectos. “O planejamento de espaços com previsão de incidência solar garante otimização energética para o edifício como um todo. Utilizar este recurso nos ambientes fechados e mesmo nos espaços comuns é essencial para o bem-estar de quem frequenta esses locais, no que se refere a saúde física e mental dos moradores ou usuários de ambientes comerciais”, explica.