Camuflagem estética se torna aliada no resgate da autoestima

Muito além da beleza, camuflagem estética promove autoestima e bem estar com o próprio corpo; em alguns casos, o método surge como alternativa benéfica em substituição às cirurgias plásticas

Cicatrizes e manchas já não são mais motivos para baixa autoestima. A partir dos diversos avanços tecnológicos na área da estética, a camuflagem tem se tornado uma grande aliada na promoção do amor próprio feminino. Como o nome já sugere, a camuflagem estética atua como uma espécie de “tatuagem”, ajudando a disfarçar definitivamente algumas marcas indesejadas sobre a pele, seja no corpo ou no rosto. Entre os procedimentos mais populares destacam-se a camuflagem das estrias, olheiras, cicatrizes, do vitiligo e a reconstrução da auréola mamária.

Formada em micropigmentação e especializada em camuflagem estética, Mariana Oliver destaca os benefícios da técnica. De acordo com a especialista, o método vem ganhando popularidade pois, além de possuir um custo benefício mais atraente em comparação às cirurgias plásticas, o processo de camuflagem é indolor, apresenta menos riscos à saúde e não provoca a fadiga da recuperação pós-cirúrgica. 

Apesar de ser vista como um procedimento meramente estético, Mariana afirma que a camuflagem vai muito além disso e envolve questões de saúde. “Não é só uma questão puramente visual. Às vezes são coisas que incomodam muito e afetam questões emocionais e psicológicas. Estamos falando de pessoas que podem ter crises de depressão, dificuldades para se relacionar, inclusive sexual, e até fobia social por conta de um problema como uma cicatriz, estrias e retirada da auréola mamária”, explica a esteticista.

Mas as vantagens não param por aí. “Os benefícios desses processos podem livrar os pacientes de uma cirurgia dolorosa e, muitas vezes, desnecessária”, afirma Mariana. “Independente do procedimento escolhido, a camuflagem estética é adaptada para os todos os tipos específicos de pele, servindo para remoção de qualquer mancha ou cicatriz. Normalmente, apenas quatro sessões realizadas com um espaço de 30 dias já são suficientes para devolver a autoestima da paciente”, ressalta a esteticista Mariana Oliver.

Principais tipos de camuflagem estética

Estrias – A camuflagem das estrias é um dos tratamentos mais populares entre o público feminino, no entanto, primeiro é necessário diferenciar as estrias brancas das vermelhas. Diferente das estrias brancas usuais, que normalmente aparecem devido ao pós-parto ou efeito sanfona, as estrias vermelhas são mais comuns em adolescentes e devem ser tratadas a partir da reestruturação dérmica, técnica sem pigmentos que combina substâncias ativas para remover permanentemente as marcas indesejadas.

Cicatrizes – Já o processo de camuflagem em cicatrizes é mais fácil de ser realizado, pois o relevo de pele nos locais afetados facilita o apagão das manchas. Entretanto, para camuflar as olheiras, que são resultado da falta de fluxo sanguíneo na região das pálpebras, é necessário ter um cuidado redobrado, uma vez que a camada de pele perto dos olhos é muito mais fina, sendo mais suscetível a deixar resquícios de pigmentação na área do procedimento.

Reconstrução auréola – Além de ser capaz de realizar a total reconstrução da auréola mamária, muitas vezes deformada pelo processo de mastectomia, a camuflagem também é capaz de tirar manchas provenientes do vitiligo, doença caracterizada pela perda de coloração da pele. Entretanto, é necessário que a doença esteja “estacionada”, em estado de inércia, sem o risco de afetar outras áreas do corpo.