Que tal um chocolatinho?! Mercado Municipal tem opções diferentes para degustar chocolates

Quem não gosta de um chocolatinho, não é? Para comemorar esse queridinho, no dia 7 de julho é celebrado o Dia Mundial do Chocolate. Com uma importância social e cultural enorme, o chocolate também é protagonista na economia brasileira.

O setor cresce a cada ano. Em 2021, faturou R$ 11,4 bilhões – alta de 16% em comparação ao ano anterior. Os dados são de recente pesquisa da Kantar, líder em dados, insights e consultoria, que ainda aponta o chocolate na lista de compras de 88% dos lares brasileiros. Em média, o brasileiro gastou R$ 90,00 com chocolate em 2021, o que representa alta de mais de 10% em relação a 2020.

Em Curitiba, uma parte deste consumo está no Mercado Municipal, onde há opções de estabelecimentos que oferecem chocolates diferenciados e com qualidade. Destaque para as empresas curitibanas especializadas em chocolates, Icab Chocolates, D’ Fuhrmann e Barion e também para os chocolates importados comercializados nos empórios e mercearias.

Segundo Cleverson Augusto Schilipacke, presidente da Ascesme (Associação dos Comerciantes Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba), a ideia é oferecer aos clientes do Mercado Municipal opções com muita qualidade.  

“Nosso atendimento não é apenas a venda, mas também a experiências que os clientes têm com as cores, aromas e sabores destes produtos e aqui no Mercado Municipal de Curitiba é possível encontrar sabores diferentes e opções exclusivas”, assegura Schilipacke.

Ainda segundo a pesquisa Kantar, nas sete praças estudadas, o chocolate é mais consumido nas regiões do sul brasileiro, responsável por 22% do volume com destaque principalmente para compradores de 30 a 49 anos.

Curiosidades

• Em 1971, Tim Maia cantou “Eu só quero chocolate” em um jingle para a  Associação Brasileira dos Produtores de Cacau. A música comercial quebrou barreiras e embalou muitas lembranças dos brasileiros.

• No Brasil, a iguaria mais popular com chocolate é o brigadeiro. Essa criação nacional surgiu durante a campanha presidencial do Brigadeiro Eduardo Gomes, candidato da UDN nas eleições presidenciais de 1945. O docinho, criado por apoiadores, era vendido para arrecadar fundos para a campanha e rapidamente se popularizou, conquistando o país. Já alguns estudiosos acreditam que a origem do doce venha do Sul.

• A palavra “chocolate” tem origem grega e significa “alimento dos deuses”.

• Foi em 1875 que uma fábrica de chocolate suíça chamada Cailler resolveu adicionar leite em pó à preparação, criando assim o chocolate ao leite.