Saúde mental no trabalho e na vida pessoal é tendência para 2022

Todos os anos a rede social Linkedin faz uma pesquisa sobre as principais tendências e, em 2022, o assunto trending topic é de que o futuro do trabalho se concentra na saúde mental. Mas não é de hoje que o tema ganha relevância: em 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou o Brasil o país mais ansioso do mundo, com mais de 18,6 milhões de pessoas convivendo com o transtorno, o que representava, na época, 9,3% da população.

A coach, palestrante, e diretora da Febracis Paraná, Daniella Kisten, conta que o aumento dos transtornos mentais é considerado pelo Ministério da Saúde como parte da quarta onda de consequências da pandemia, sendo que tais transtornos podem ser desencadeados por diversos fatores, entre eles as alterações nos padrões de comportamento da sociedade com relação ao trabalho e vida pessoal.

“A pandemia trouxe com ela a oportunidade de revermos a nossa vida e o que realmente queremos. Tudo mudou, algumas pessoas perderam seus trabalhos porque foram dispensadas, outras perceberam que o que faziam não estava ligado e coerente com aquilo que idealizaram uma vida inteira. Foi e ainda é um momento muito doloroso para todos, porém também podemos considerar como uma oportunidade de crescermos como seres humanos”, conta.

Para fazer uma análise da saúde mental, Daniella sugere a utilização do Mapa de Autoavaliação Sistêmico (MAAS), onde ocorre uma auto avaliação, de 1 a 10, em pontos como:
– Qualidade de vida – hobbies e diversões, plenitude/felicidade e espiritualidade;
– Pessoal – saúde/disposição, desenvolvimento intelectual e equilíbrio emocional;
– Profissional – contribuição social, recursos financeiros e realização/propósito;
– Relacionamentos: vida social, relacionamento amoroso e família.

O Mapa de Autoavaliação Sistêmico é uma das ferramentas do Método CIS, uma metodologia desenvolvida pela Febrasis, baseada no Coaching Integral Sistêmico. “Estamos vendo um mundo doente, onde as pessoas já não conseguem se reconhecer em suas tarefas rotineiras. Pais que não conseguem educar seus filhos devido a correria do cotidiano, empresas que não enxergam seus funcionários, que não entendem que o negócio deles é gestão de pessoas, falta de organização e planejamento, pessoas sem um propósito de vida. Para ajudar nessas questões é que o Método CIS foi criado. Por meio dele, oferecemos a oportunidade das pessoas terem mais clareza sobre o seu estado atual, de estabelecerem com mais segurança seus objetivos e identificarem suas potencialidades”, explica Daniella.