Dieta causa mau hálito?

Com a ‘’geração do sedentarismo’’ em alerta, algumas pessoas estão procurando levar uma vida mais saudável e criar hábitos rotineiros que melhorem suas qualidades de vida. A ”reeducação alimentar” ou até mesmo a famosa ‘’dieta’’ indicada por nutricionistas, são exemplos desses hábitos, mas o que  é comentado, é o mau hálito que gera em decorrência, mas que não está ligado na dieta e sim nas substâncias específicas de alguns alimentos.

Nas dietas que o consumo de carboidratos é pequeno ou quase nulo, o corpo começa a utilizar como fonte de energia a gordura já armazenada e não a glicose, que é a quebra preferida do organismo. Segundo a atual Conselheira Consultiva da Associação Brasileira de Halitose, Dra. Cláudia Gobor, isso ocorre pois “o organismo entra no processo conhecido como cetose. Nele, o corpo converte a gordura em três tipos de cetose, incluindo a acetona, que confere à boca o mau hálito”.

Mesmo com essa alteração no hálito, a especialista em halitose afirma: “A dieta com menos carboidratos além de beneficiar o corpo como um todo, apesar do meu hálito, também ajuda na saúde bucal, já que não se consome açúcares e evita cáries”.

Para evitar o mau hálito nas dietas, a Dra. Cláudia Gobor recomenda:

  • Mascar chicletes sem açúcar para ajudar na salivação;
  • Manter uma boa higiene bucal (escovação, uso do fio dental e enxaguantes);
  • Adicionar ervas frescas à água e ao chá.

Mesmo com dificuldade, é importante sempre tentar manter um estilo de vida saudável. A Dra. ainda reforça que “para lidar com o mau hálito excessivo que aparentemente não tem causa, procure um dentista especialista em halitose para fazer o devido tratamento.”