Dívidas afetam saúde mental dos brasileiros com mais força na pandemia

Os problemas financeiros e o endividamento são um dos principais vilões da saúde mental durante a pandemia. É o que mostra uma pesquisa realizada pela Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), a pedido da Pfizer Brasil.

Ao todo, foram ouvidas 2 mil pessoas com 18 anos ou mais, nas cidades de
São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Salvador. Dessas, 23% declararam que tiveram a saúde mental afetada pela situação financeira e o acúmulo de dívidas.

De acordo com um estudo nacional feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), os consumidores inadimplentes têm mais chances de sofrer com insegurança, estresse, angústia, desânimo e baixa autoestima, podendo evoluir para um quadro mais grave como a depressão.

E os prejuízos não param por aí, as dívidas atrasadas e a falta de dinheiro também causam problemas familiares, atrapalham o rendimento no trabalho e são capazes de contribuir para o aparecimento de doenças físicas, como a hipertensão arterial sistêmica, também chamada de pressão alta.

Cuidar das finanças é cuidar da saúde

As dívidas não são apenas um problema financeiro. A mente e o corpo podem pagar um preço bem alto pelo descontrole sobre as finanças e o endividamento. Por isso, o consumidor inadimplente precisa buscar ajuda profissional para conseguir sair das dívidas o mais rápido possível.

O senhor Almir de Oliveira sabe bem o que é estar endividado. Ele já chegou a dever mais de 50 mil reais para o banco, devido ao financiamento de um veículo. Mas, decidido a resolver a situação, ele contratou os serviços da Solução Financeira, uma assessoria especializada em negociação de dívidas bancárias.

Após ter a dívida negociada por um especialista, o sr. Almir quitou o
financiamento
com uma redução de 79%. Assim, ele conseguiu regularizar a situação, aliviar o estresse e recuperar o controle financeiro. Confira o vídeo abaixo!