Conmebol afasta rumores e banca final da Libertadores em Guayaquil

THIAGO BRAGA E RODRIGO MATTOS

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Reunião do Conselho da Conmebol que aconteceu nesta sexta-feira (30), em Córdoba, na Argentina, ratificou a decisão de jogar a final da Libertadores entre Flamengo e Athletico-PR, em Guayaquil, no Equador, no dia 29 de outubro.

Isso afasta os temores de que haveria uma mudança de sede da final por causa da escalada de violência na cidade equatoriana. Guayaquil vive uma onda de crimes que levou o Governo do Equador a decretar um estado de exceção até, pelo menos, o dia 14 de outubro.

Nos bastidores havia pressão para que o local da decisão fosse mudado. A Conmebol sempre descartou qualquer alteração e agora a entidade garante que não mexerá com a sede da final.

O Conselho da Conmebol é formado pelos dez presidentes das confederações de futebol da América do Sul, pelo presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, mais os três membros do continente sul-americano que fazem parte do conselho da Fifa. Participou da reunião também Juan Sebastián Palacios Muñoz, ministro do Esporte do Equador.

No encontro, foram avaliados todos os eventos organizados pela Conmebol, além de serem apresentadas as finanças relativas aos torneios na América do Sul.

O caos social teve uma grande disparada por causa do narcotráfico, com assassinatos, guerras de gangues, atentados com explosivos, assaltos, entre outros crimes que estão tendo um aumento gradativo ano a ano. Segundo as autoridades, entre janeiro e agosto de 2022 já foram 861 pessoas assassinadas e a cidade concentra 32,5% dos homicídios do país.