Dirigente do Flamengo condena preços e sugere EUA para próximas finais da Libertadores

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Presidente do Conselho de Administração do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, reclamou dos preços que os torcedores rubro-negros vão ter de arcar para assistir à final da Libertadores em Guayaquil, no Equador, e sugeriu que edições futuras da decisão continental sejam realizadas nos Estados Unidos ou na Europa.

A final entre Flamengo e Athletico acontecerá no dia 29 de outubro, e a grande procura fez os preços dos pacotes dispararem. As passagens mais baratas no início de setembro estavam saindo a quase R$ 6 mil, porém, com durações de mais de 30 horas de viagem na ida por causa das escalas. Os voos mais rápidos, a depender da data, ultrapassavam os R$ 12 mil.

Para justificar a tese, Bap ressalta que em Miami, Orlando, Dallas, nos Estados Unidos, Lisboa, em Portugal, e Madrid, na Espanha, exemplos citados por ele, há “estádios maiores” e “abundância de voos e hotéis”.

“Por que não levar a final da Libertadores para cidades como Miami, Orlando, Dallas, Lisboa, Madrid, por exemplo, onde há estádios maiores, abundância de voos e hotéis? Para os torcedores seria mais barato pelo volume de ofertas e para o produto, a visibilidade seria muito maior”, publicou.

Diversos torcedores criticaram a sugestão do dirigente, lembrando, inclusive, que o pacote oficial do Fla para a final em Montevidéu, no Uruguai, sede da final da Libertadores do ano passado, foi em torno de R$ 16 mil sem ingresso. Chamado, dentre outras coisas, de “elitista”, Bap voltou à rede social para rebater.

“Para quem acha elitista, vejam aí o preço do ingresso, das passagens aéreas e de hotéis em Guayaquil para o período da final. Isto se conseguirem. Mais caro que nos lugares que citei”.