“Temos que ser mais eficazes para dar um salto de qualidade”, ressalta Paulo Autuori

O Athletico teve mais uma atuação segura defensivamente, foi eficiente na criação de jogadas e teria conseguido um placar dilatado se fosse mais eficaz na hora de finalizar as jogadas. Essa é a análise do diretor técnico Paulo Autuori, após a vitória de 1 a 0 sobre o Melgar, nesta quarta-feira (19), pela Copa Sul-Americana.

Para Autuori, o jogo que colocou o Furacão na liderança do Grupo D mostrou mais uma vez a qualidade do sistema defensivo rubro-negro. Com apenas um gol sofrido na competição, o Athletico é a melhor equipe no quesito, ao lado de Ceará e Atlético Goianiense.

“Essa solidez que adquirimos ao longo do tempo, todos sabem que é uma das características fortes da equipe. O Santos trabalha muito pouco nos jogos. É um sistema defensivo, não tem a ver apenas com os defensores e volantes, é toda a equipe, é a maneira como se estrutura e não deixa o adversário criar”, disse Autuori.

Segundo o diretor athleticano, no momento o principal desafio do elenco durante os treinamentos e jogos é melhorar a eficácia ofensiva. “Temos que ser mais eficazes para dar um salto de qualidade. Eficiência é fazer as coisas bem feitas, e eficácia é fazer a coisa certa, ou seja, o gol. Temos sido eficientes na maneira como criamos oportunidades, então não temos sido eficazes. Tem uma cobrança forte para que possamos melhorar isso nos treinos e acontecer nos jogos, para adquirirmos um grau de equilíbrio entre as ações ofensivas e defensivas”, afirmou.

Autuori elogiou a qualidade da equipe do Melgar e destacou as chances criadas pelo Athletico durante a partida. “O Melgar tem feito muito boa competição. É uma equipe que joga, sabe jogar, demonstrou isso. Até por isso a solidez defensiva do Athletico ficou bem clara. Volto a frisar, se tivéssemos sido mais eficazes, no primeiro tempo principalmente, poderíamos ter vencido o jogo até com maior facilidade. No primeiro tempo, tivemos cinco situações claras, evidentes de gol”, ressaltou.

O diretor rubro-negro voltou a frisar que o mais importante é que o time tem conquistado os resultados necessários em busca do bicampeonato continental. “Importante, só conheço vitórias e títulos. Não se ganha jogos se estiver preocupado apenas em fazer muitos gols. Se ganha jogos por ser superior ao adversário, pela maneira como se comporta em termos competitivos, e pelo equilíbrio que se tem entre as tarefas ofensivas e defensivas. Eu tive a satisfação de participar em campanhas vitoriosas, cansamos de ganhar jogos de 1×0, 2×1. Lá na frente, é o que as pessoas e a mídia cobram, vitórias”, finalizou.

Informações da assessoria de imprensa.