Ídolo no esporte e bombada na internet: há um ano ‘surgia’ o fenômeno Rebeca Andrade

Há exatamente um ano, no dia 29 de julho de 2021, Rebeca Andrade conquistava a medalha de prata no individual geral da ginástica artística nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Naquele momento, surgia de vez um dos maiores fenômenos do esporte nacional – em vários aspectos. 

A partir daquele dia, a garota de então 22 anos deixava de ser apenas um dos grandes nomes da ginástica brasileira para se tornar uma referência e um exemplo ainda maior para as jovens ginastas, um ídolo de milhões de torcedores, o alvo de grandes marcas para publicidade e um sucesso de audiência nas redes sociais. Tudo isso se tornaria ainda maior dias depois, na conquista da medalha de ouro no salto. 

“Hoje tenho muito mais oportunidades de fazer outros tipos de trabalhos que não só só relacionados ao esporte. Muita gente me viu na televisão. Eu me sinto muito feliz por isso. Foi mais uma conquista importante pra minha carreira e pra minha vida. Me orgulho muito disso”, disse ela. 

De fato, Rebeca se tornou um fenômeno de publicidade. São várias as marcas para as quais ela faz propagandas com frequência, sem nunca deixar de lado o carisma e a simpatia que conquistaram o Brasil nos Jogos Olímpicos. 

Talvez o salto mais impressionante de Rebeca Andrade tenha sido na internet. O desempenho em Tóquio fez com ela que ela “bombasse” ainda mais nas redes sociais. No Instagram, passou de 500 mil de antes dos Jogos para cerca de 2,2 milhões de seguidores. No TikTok, já tem mais de 1.8 milhão. Um fenômeno no mundo virtual.

Rebeca conquistou tudo isso sem deixar de lado o sucesso na ginástica. Continuou ganhando medalhas e títulos e sendo o principal nome da seleção brasileira, que vem obtendo resultados expressivos. No último deles, no Pan-americano do Rio de Janeiro, neste mês, conseguiu vencer os Estados Unidos pela primeira vez na história e ficar com o ouro.

Nessas competições é possível ter uma mostra do que se tornou Rebeca Andrade. As arquibancadas ficam cheias de torcedores, sobretudo crianças, gritando o nome dela o tempo todo, como acontece com os principais ídolos do esporte nacional.

“É muito difícil colocar isso em palavras, isso é um sentimento. Eu me lembro quando eu era criança e sentia isso pela Daiane dos Santos. É um orgulho muito grande saber que hoje eu sou para as crianças o que a Daiane foi um dia para mim, espelho e inspiração. Vou sempre tentar mostrar o meu melhor lado, sem deixar de ser eu mesma. Sempre com carisma, com sorriso, com alegria”, contou.

“Claro que não sou perfeita, vai ter dia que vou estar de cara fechada, sem querer falar com ninguém. Eu sou um ser humano, não sou um robô. As pessoas precisam entender isso também. Mas quero sempre mostrar o meu melhor. Hoje sei que sou um espelho e uma inspiração”, completou.

Uma oportunidade na qual ela poderá sentir ainda mais de perto o carinho dos mais jovens será nos Jogos da Juventude, que acontecerão em setembro, em Aracaju. Rebeca será embaixadora da competição.

Informações do COB.