Já classificada para a fase final da Liga das Nações, seleção masculina perde para a França

Depois de garantir vaga na fase final da Liga das Nações, a seleção brasileira masculina de voleibol enfrentou, na madrugada desta sexta-feira (08), a França, atual campeã olímpica, pela terceira etapa da competição. O Brasil foi superado por 3 sets a 0 (21/25, 22/25 e 21/25), na Maruzen Intec Arena, em Osaka (JAP). Na partida, o oposto Darlan foi o principal pontuador do time brasileiro e marcou nove vezes (oito de ataque e um de saque).

No duelo o treinador Renan Dal Zotto promoveu mudanças na formação inicial com o levantador Fernando Cachopa e o ponteiro Adriano como titulares nos lugares de Bruninho e Lucarelli, respectivamente. O último jogo do Brasil na fase classificatória da Liga das Nações será no domingo (10.07), às 7h10, contra o Japão.

Darlan, oposto e maior pontuador do Brasil na partida com nove pontos (oito de ataque e um de saque): “Eu me vejo em evolução e conquistando o meu lugar. Tenho consciência de que ainda há muito espaço para melhorar, mas me sinto confortável dentro de quadra e acolhido pelos meus companheiros. Eu estou cercado pelas pessoas que eu mais admiro no voleibol, então as outras seleções eu enfrento de forma igual, independentemente de quem está do outro lado, eu jogo com a mesma vontade”.

Flávio, central, marcou oito pontos (seis de ataques, um de bloqueio e um de saque): “Entramos em quadra com uma formação um pouco diferente, para dar mais rodagem a outros jogadores, e descansar outros que vêm de partidas mais longas. Tivemos algumas dificuldades, mas, olhando pelo lado positivo, conseguimos alcançar o placar em momentos adversos, encaixamos bons saques. Mas agora temos que deixar esse jogo no passado e já pensar no próximo adversário”.

Fernando Cachopa, levantador: “Eu tentei ajudar o máximo os meus companheiros em quadra. Hoje entramos com uma formção um pouco mesclada, mas foi um passo importante para a nossa preparação já visando a fase final. Pudemos rodar mais jogadores, principalmente os mais jovens, como o Darlan e o Adriano, apesar de não termos saído com o resultado esperado, seguimos com o nosso foco”.

Renan Dal Zotto, técnico da seleção brasileira masculina: “Hoje tivemos a oportunidade de dar mais rodagens a alguns atletas e um descanso a outros. E essa mescla é importante, faz parte do processo de crescimento dos mais novos, e o jogo desta sexta-feira foi uma oportunidade de promover essas mudanças. Foi importante para ver a evolução dos mais jovens, que estão ganhando confiança e ficando mais à vontade em quadra”.

Para a etapa em Osaka, a seleção masculina conta com os levantadores Bruninho e Cachopa; os centrais Isac, Flávio, Aracaju e Léo Andrade; os líberos Thales e Maique; os ponteiros Lucarelli, Adriano, Rodriguinho e Honorato; o ponteiro/oposto Leal; e o oposto Darlan.

A Liga das Nações reúne as 16 melhores seleções de voleibol do planeta. Em 2022, a competição será realizada em duas fases. A primeira tem três etapas. Em cada uma, os times são divididos em dois grupos e cada um joga quatro vezes. Os grupos e os confrontos de cada semana são definidos por sorteio. Os oito melhores desta fase avançam para a fase final, que acontece de 20 a 23 de julho, em Bolonha (Itália). O Brasil é o atual campeão e busca o bicampeonato. 

Informações da CBV