Seleção brasileira de judô realiza primeiros treinos em Hamamatsu

Hamamatsu é a cidade mais brasileira de Japão. Estima-se que cerca de 10.000 habitantes da cidade nasceram no Brasil. E faltando poucos dias para a Cerimônia de Abertura de Tóquio 2020, o local está ainda um pouco mais verde e amarelo. A seleção de judô já realizou o primeiro treino no Ginásio Yuto, que receberá os atletas no período pré-Jogos Olímpicos. Eric Takabatake (60kg), Daniel Cargnin (66kg), Eduardo Katsuhiro Barbosa (73kg), Rafael “Baby” Silva (+100kg), Gabriela Chibana (48kg) e Larissa Pimenta (52kg), todos os convocados que já estão no Japão, participaram da atividade regenerativa.

“É essencial chegar com essa antecedência, ter essa estrutura montada ao longo de cinco anos de muita troca, com todas as áreas da equipe multidisciplinar dando sugestões para que, agora, estivesse tudo pronto para receber a equipe e tenho certeza que os atletas estão muito satisfeitos. Eles terão a tranquilidade de estar longe do Brasil, com foco total na competição, já vivenciando o clima olímpico”, disse Ney Wilson, gestor de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô e chefe da equipe de judô na Missão Tóquio 2020.

“Esse primeiro dia foi para soltar, retirar o jet leg de uma longa viagem e começar a trabalhar os ajustes finais. Tudo que a preparação exigia, já foi feito. Agora é o trabalho deles dentro dos tatames para buscar as medalhas olímpicas”, completou.

O momento foi um pouco mais especial para Eduardo Katsuhiro. Ele viveu na cidade por 14 anos com sua avó. A Confederação Brasileira de Judô utiliza a instalação desde 2016 e, por isso, Dudu, como é conhecido, teve outras oportunidades de treinar junto com a seleção brasileira na cidade. Desta vez, sem ter amigos, conhecidos e até parentes por perto, como nas outras vezes, o que não muda em nada o sentimento de estar em casa do outro lado do planeta.

“O mundo é muito pequeno. Indescritível a sensação de estar fazendo a aclimatação para os meus primeiros Jogos Olímpicos na cidade onde passei minha infância. Por causa de todos os protocolos necessários para nossa segurança, não vou poder estar perto dos meus amigos, mas só de estar em Hamamatsu, sinto que minha energia será maior e vou chegar muito bem no dia da competição. Estou muito feliz de estar aqui”, disse Katsuhiro.

“Tem a responsabilidade de estar representando o meu país, todos os atletas do peso leve, mas também uma satisfação muito grande, sensação de realização de um sonho. E vou deixar tudo de mim dentro da competição”, completou.

Já para Larissa Pimenta, outra das estreantes em Jogos Olímpicos, os dias que antecedem o início do torneio de judô em Hamamatsu serão importantes para focar totalmente nos Jogos.

“Nessa reta final é manter uma alimentação boa, cuidar do peso, seguir os protocolos para não ter riscos à saúde e ir entrando no fuso horário, aclimatando mesmo para irmos bem na competição. O meu objetivo é dar o melhor, mas também me divertir e viver intensamente cada momento dentro dos Jogos”, disse a peso meio-leve.

Os outros sete atletas da seleção chegam a Hamamatsu no dia 15 de julho. A competição de judô em Tóquio será realizada no lendário Nippon Budokan, ginásio construído para os Jogos Olímpicos de 1964, e começa no dia 24 com a categoria ligeiro em que o Brasil terá Eric Takabatake e Gabriela Chibana.

A base do Time Brasil na província de Shizuoka recebe as equipes feminina e masculina de tênis de mesa na próxima quarta-feira, 13, e a de ginástica rítmica no dia 25. Ao todo, 75 integrantes da Missão passarão pela cidade, deixando Hamamatsu ainda mais brasileira.