Tite diz que técnico da seleção tem que estar alinhado com futebol

(Reuters) – O técnico da seleção brasileira, Tite, desconversou nesta segunda-feira quando foi questionado se, pelo cargo que ocupa, precisaria estar alinhado com o governo.

“Técnico de futebol tem que estar alinhado com futebol”, disse Tite, que está no Paraguai para o confronto pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, ao responder à pergunta, ressaltando que seu papel é preparar a seleção para o jogo.

A declaração foi dada em meio a especulações sobre uma eventual interferência do governo no futebol, a possível substituição de Tite no comando da seleção e um eventual boicote dos jogadores à Copa América.

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro negou qualquer tentativa de interferência do comando da seleção.

“A minha participação na Copa América é abrir o Brasil para que ela fosse realizada aqui. Já tem os quatros Estados acertados, tudo certinho. No tocante a jogador, técnico, estou fora dessa. Não tenho nada a ver com isso aí”, disse Bolsonaro a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

O presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo, negou que haja um movimento contra Tite, que está alinhado com os jogadores da seleção. A comissão técnica e os atletas devem se pronunciar sobre os últimos acontecimentos após o jogo contra o Paraguai, que ocorre na terça-feira.

“Os jogadores nunca falaram em boicotar a Copa América, em nenhum momento isso aconteceu. E eu nunca quis trocar o Tite, a comissão técnica”, disse Caboclo em entrevista à ESPN Brasil.

Caboclo está afastado temporariamente acusado de assédio moral e sexual a uma funcionária da entidade. O caso é investigado pela comissão de ética da CBF. Na mesma entrevista, Caboclo disse é inocente e tem “absoluta certeza” de que vai provar isso.

O Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT) instaurou uma investigação contra Caboclo, acusado de assédio sexual e moral a uma funcionária da entidade. O caso está com o procurador do Trabalho Artur de Azambuja Rodrigues, que irá determinar as medidas de investigação cabíveis.