União Brasil pode decidir hoje futuro da terceira via

Está prevista para esta 4ª feira (4.mai) a reunião do União Brasil, que pode definir o caminho da chamada terceira via na corrida ao Palácio do Planalto. Na última semana, o presidente da legenda e pré-candidato à Presidência da República, deputado Luciano Bivar (PE), indicou que pode abandonar a aliança que vinha sendo arquitetada junto ao MDB, PSDB e Cidadania, por uma candidatura única.

No entanto, articuladores asseguram que a direção do União Brasil tem recebido apelos de membro do MDB e PSDB para adiar o anúncio de saída do bloco, assim como a escolha de Bivar como nome próprio.

Caso a perspectiva inicial se confirme, a terceira via sofrerá um revés, tendo em vista que saída do partido enfraquece o grupo antipolarização, tanto política quanto financeiramente. Criado a partir da fusão do DEM com o PSL, o União Brasil possui dois atrativos muto disputados: R$ 781 milhões do fundo eleitoral e tempo de televisão.

A falta de crescimento dos pré-candidatos das siglas nas pesquisas, somada a indicação de Luciano Bivar ao posto de vice na chapa da aliança, não agradaram. Levando a nova legenda a optar por se retirar do bloco.

Além de fortalecer a polarização entre Lula (PT) e Bolsonaro (PL), a saída do União Brasil, com um possível anúncio de uma candidatura própria ainda hoje, atrapalharia a estratégia do MDB em lançar Simone Tebet ao cargo mais alto do Executivo. Os dirigentes do partido precisariam do prazo acordado com as demais siglas para o anúncio de uma candidatura. Inicialmente, o grupo da terceira via definiu 18 de maio como data de apresentação do escolhido para liderar a chapa.

Embora ainda não descarte o nome de Tebet, o MDB está dividido entre apoiadores de Lula e de Bolsonaro. Para a direção do partido, a única forma de manter a união da legenda é lançar a senadora ao Planalto. Para isso, é preciso mais tempo.

Informações SBT News