Veja a nota da Fúria Independente após morte de presidente pisoteado por cavalo

O conselheiro do Paraná Clube e presidente da torcida organizada Fúria Independente, Mauro Machado Urbim, morreu na noite desta segunda-feira (1°) no Hospital do Trabalhador, em Curitiba.

No intervalo do jogo entre Paraná Clube x Cascavel, no último sábado (30), Mauro foi pisoteado por um cavalo da Polícia Militar (PM). Após o ocorrido, ele foi internado em estado grave no hospital, com traumatismo craniano. 

Os médicos esperavam que Mauro melhorasse para realizar uma cirurgia, mas ele piorou e teve morte encefálica. A morte foi confirmada através de uma nota divulgada pela torcida Fúria Independente em suas redes sociais:

“Com profunda tristeza, informamos que o nosso Presidente, Mauro Machado Urbim, não suportou os ferimentos sofridos no último sábado e entrou em óbito na noite desta segunda-feira (01/08), há poucos minutos.

Deixou pra trás um filho, pai, mãe, irmãos e irmãs, tios e tias, amigos e um sonho.

O sonho de ver o Tricolor de volta à primeira divisão, com a nação paranista toda unida em busca de voos mais altos.

Fruto de uma conduta brutal por parte da Polícia Militar do Estado do Paraná, Maurinho teve a vida ceifada de maneira covarde e bárbara.

Ao pisotear o nosso presidente, o Regimento de Polícia Montada interrompeu não somente a vida de um ser humano, mas também o trabalho muito bonito que vinha sendo realizado em nossa entidade.

Desde cedo, Maurinho sempre acompanhou o Paraná Clube em qualquer ocasião. Orgulhava-se de afirmar que esteve presente em TODOS os títulos paranistas e em todas as grandes conquistas, como o acesso de 2017 em Maceió-AL.

Mauro assumiu a presidência em janeiro de 2021, mas sua história na TFI teve início muitos anos antes, ainda na Iapó, quando começou a frequentar a Torcida.

Influente no Comando Zona Oeste, ajudou a liderar a região por muitos anos antes de entrar para a diretoria da Fúria em meados de 2017 e posteriormente desempenhar o cargo de 2º Vice-presidente em 2019.

Encarou de frente a responsabilidade de exercer a presidência em um momento conturbado da entidade e do clube. Com o rebaixamento à Série C sendo decretado dias após assumir o seu cargo, ainda viu o Paraná Clube cair para a Série D e ser rebaixado no estadual.

Ainda assim, resistiu de cabeça erguida, foi “PRA CIMA” do jeito que ele mesmo gostava de dizer e trabalhou incessantemente pela união da Torcida, dialogando com todos os setores de paranistas e efetuando um papel exemplar no Conselho Deliberativo do clube.

Maurinho foi um grande homem, líder e amigo.

Querido por todos, nos deixou a missão de continuar a sua empreitada, afinal, como ele mesmo continuou propagando: A LUTA NÃO PARA!

Nossa luta, hoje, ganhou mais algumas metas: Lutar por JUSTIÇA pelo assassinato do Mauro, pela prisão do criminoso e por grandes mudanças na conduta da Polícia Militar do Estado do Paraná.

O lema da PMPR, “sua proteção é o nosso compromisso”, fica EXTREMAMENTE VAGO quando um homicídio é protagonizado por um membro da corporação.

Já passou da hora da Polícia Militar instituir um batalhão especializado em futebol, a exemplo do que acontece em outros estados como o Rio de Janeiro, com agentes da lei instruídos para lidar com torcedores, e que entendam e conheçam toda a dinâmica e lideranças das torcidas organizadas.

É preciso fazer cessar a morte de torcedores pelas mãos da PMPR.

A corporação deve de fato proteger a população, mas utilizando de INTELIGÊNCIA, ingrediente que há muito vem faltando nas atitudes tomadas pela Polícia Militar.

Exigimos e lutaremos por mudanças de postura do Comando da Polícia Militar! Esperamos que reconheçam os seus próprios erros e passem a averiguar informações antes de emitir comunicados com inverdades a respeito dos fatos.

Como já afirmamos, em momento algum houve confusão ou tentativa de invasão por parte de qualquer integrante da TFI ao setor destinado aos visitantes. Este fato é corroborado, inclusive, por torcedores do FC Cascavel presentes na partida de sábado, na Vila Capanema.

É de séria importância ressaltar que não possuímos qualquer tipo de rivalidade com os torcedores do FC Cascavel e não existem episódios que contestem esta afirmação. O convívio com os torcedores aurinegros foi pacífico tanto em Cascavel, no jogo da ida, quanto em Curitiba, no dia em que ocorreu o crime.

A ação desmedida da Cavalaria não pode ser acobertada e/ou justificada de modo irreal. Um CRIME aconteceu e deve ser tratado como tal.

Esperamos e cobraremos celeridade no andamento da sindicância instituída pelo Comando da Polícia Militar do Estado do Paraná, assim como na investigação aberta pela DEMAFE.

Só de quinta-feira (04/08) à segunda-feira (08/08), teremos 3 jogos dos times de Curitiba aqui na capital. São eventos que envolveram dezenas de milhares de pessoas.

A NECESSIDADE DE REMOVER O ASSASSINO DAS RUAS E DO CONTATO COM GRANDES PÚBLICOS É URGENTE!

Isso se dá, pensando na segurança de todos os cidadãos curitibanos que frequentam os estádios da capital, assim como os de outros estados/países que vem à nossa cidade acompanhar o esporte mais popular do mundo. POSSUÍMOS DIREITO À VIDA!

Ao torcedor paranista que frequenta a CURVA NORTE, temos um grande pedido: na contramão do MAR BRANCO já conhecido, neste próximo jogo em casa contra o Pouso Alegre, iremos todos de PRETO.

TODO MUNDO DE PRETO EM FORMA DE PROTESTO E LUTO PELO NOSSO AMADO PRESIDENTE!

A vontade do Mauro sempre foi de que a festa prevalecesse e que a arquibancada vibrasse como nunca. Ele esteve constantemente à frente da nossa organização puxando e incentivando todos a entoarem os cânticos pelo nosso Tricolor.

Nesta partida faremos tudo por ele. Cantaremos mais alto honrando a memória dele.

Não nos calaremos por um minuto se quer. O Maurinho merece isso.

Pois, da mesma maneira que o coração dele foi doado e continuará batendo por muito tempo, seu desejo continuará a ser seguida e apoiaremos o PARANÁ CLUBE até o último minuto de nossas vidas.

PRA CIMA! SOMOS A FÚRIA.”