Polícia prende mãe e padrasto por morte de bebê de 11 meses no Paraná

A Polícia Civil de Foz do Iguaçu cumpriu dois mandados de prisão contra um casal suspeito de torturar e matar uma bebê de apenas 11 meses de vida.

O caso aconteceu no início do mês na cidade das Cataratas, mas os mandados foram cumpridos pela Delegacia de Homicídios nesta semana, em parceria com a Polícia Civil de Medianeira. A mãe foi encontrada em Foz, enquanto o homem foi preso em Medianeira.

A menina tinha sido levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Morumbi. De acordo com a Polícia Militar, uma funcionária do local acionou o 190 após o casal chegar com a bebê já desacordada.

O médico que prestou o primeiro atendimento contou que a criança estava cem parada cardiorrespiratória e tinha sinais de violência por todo o corpo, inclusive com marcas de mordidas.

A bebê foi reanimada e, em estado grave, levada ao Hospital Ministro Costa Cavalcanti. No entanto, ela não resistiu e morreu pouco tempo depois.

A mãe mora com o namorado e, à época, os dois foram ouvidos pela polícia e liberados em seguida. A mulher disse que foi ao mercado e deixou os três filhos com o homem – além da bebê, ela tem dois filhos de 5 e 10 anos. Na versão dela, quando voltou para casa, encontrou a pequena já desacordada.

Na versão do padrasto, a menina teria se afogado e ele alega que tentou reanimá-la. Uma testemunha ouvida pela polícia conta que o homem era bastante violento.

O Conselho Tutelar acompanha o caso e as investigações devem continuar após o laudo do Instituto Médico Legal (IML), que vai auxiliar a polícia nos próximos passos do inquérito.

Colaboração Adriana Czaepal/Rede Massa.