Sem carnaval de rua, maioria dos municípios do Litoral permite eventos privados

No próximo sábado (26), começa o feriado do Carnaval. E como já é esperado, muitos paranaenses vão até o Litoral para descansar ou participar das festas. 

Porém, devido à pandemia de covid-19 e o aumento de novos casos da doença em janeiro, os municípios cancelaram o carnaval de rua. A maioria das prefeituras anunciou a medida em janeiro e algumas publicaram regras específicas para o funcionamento dos eventos privados. 

Em Guaratuba, todo evento em via pública está proibido, seja público ou privado. Os eventos marcados em local fechado ou eventos realizados para outras finalidades precisaram protocolar para a prefeitura um pedido para a permissão do evento. 

Antes da pandemia, o Carnaval de Antonina era tradicional no Litoral. Foto de 2020. Reprodução/AEN

Paranaguá e Antonina adiantaram já em novembro de 2021 que não haveria Carnaval nas ruas. Nas duas cidades, eventos privados estão permitidos desde que obedeçam às regras estabelecidas nos decretos municipais, e o comércio deve adotar medidas preventivas como uso de máscara e disponibilização de álcool em gel. A fiscalização será feita pela Vigilância Sanitária. Morretes, que suspendeu festas ou eventos comemorativos em todo o município, seguirá as mesmas medidas. 

Já em Guaraqueçaba, que chegou a fechar a Ilha de Superagui no começo de janeiro após um surto de coronavírus, o acesso ao município está liberado desde que os turistas apresentem o comprovante de vacinação ou o teste negativo para a covid-19. Eventos privados podem acontecer, desde que não tenham mais de 25 pessoas presentes. 

Pontal do Paraná foi uma das últimas cidades a cancelar o carnaval de forma oficial. O carnaval de rua e os eventos públicos estão proibidos, e seguem as regras vigentes e a fiscalização para eventos privados, assim como para o funcionamento do comércio. 

Matinhos. Foto: Geraldo Bubniak/AEN

No mês passado, Matinhos divulgou que a administração municipal não realizaria nenhum tipo de festividade, mas que os eventos particulares estavam liberados. Porém, na última semana, o Ministério Público do Paraná expediu uma recomendação para que a prefeitura não autorize qualquer festividade no período de Carnaval, mesmo que promovida pela iniciativa privada. O município vai acatar o pedido e fiscalizar os eventos.