‘Serial killer’ armava emboscada para matar e roubar homossexuais atraídos por app de namoro

A Polícia Civil está na caça de um rapaz apontado como autor de uma série de latrocínios, que é o roubo seguido morte, contra homossexuais de Curitiba, no Paraná, e Aberlado da Luz, em Santa Catarina. As investigações apontam que os crimes eram cometidos no apartamento das vítimas atraídas por aplicativos de relacionamentos, que tinham os pertences levados pelo criminoso.

José Tiago Correia Soroka, de 32 anos, consta com um mandado de prisão em aberto e teria cometido os crimes em um pequeno intervalo de tempo. O suspeito, segundo a polícia, se passava por outra pessoa nos aplicativos de mensagem e buscava por rapazes que moravam sozinhos. Nos encontros, as vítimas eram amarradas e assassinadas por asfixia.

De acordo com o delegado, Thiago Nóbrega, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), uma das vítimas do agressor sobreviveu ao ataque, no dia 11 de maio, e contou em detalhes como escapou da morte.

“No apartamento, disse que ele foi carinhoso, educado e que pediu pra que a vítima tirasse as vestes. No momento em que ficou de costas, o agressor aplicou um golpe mata-leão para tentar esganar a vítima, mas por ser mais forte o homem reagiu e o suspeito conseguiu fugir”, disse em entrevista à Rede Massa.

(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Alerta

Diante dos casos que chocaram a população, a Polícia Civil faz um pedido para que os jovens fiquem atentos ao usarem aplicativos de relacionamentos e que não levem desconhecidos para casa.

“Preferimos divulgar as imagens por ele estar matando uma pessoa por semana. Fica o alerta principalmente para o público gay: se for manter relações sexuais com desconhecido, que procure identificar se essa pessoa tem um perfil verdadeiro, peça pra que a pessoa faça um cadastro na portaria ou evite, se possível, por um tempo esse tipo de relacionamento até tirar esse cidadão de circulação”, concluiu Nóbrega.

A polícia divulgou imagens de câmeras de segurança e pede a colaboração da sociedade com informações que auxiliem na localização do procurado. As denúncias podem ser feitas de forma anônima pelos telefones 197 da PCPR, 181 Disque Denúncia ou pelo 0800-643-1121, diretamente à equipe de investigação.

Crimes

Segundo as investigações, José Tiago seria responsável pelas mortes de David Júnior Alves Levisio, ocorrida no dia 27 de abril, e Marcos Vinício Bozzana da Fonseca, assassinado no dia 4 de maio, ambas na capital paranaense. Além do enfermeiro e do estudante de medicina, ele também é suspeito do latrocínio contra Robson Olivino Paim, no dia 16 de abril, no norte catarinense.

As três vítimas, de acordo com a polícia, eram homossexuais e moravam sozinhas. Eles foram encontrados mortos amarrados na cama de suas residências com sinais de asfixia.

David, Marcos e Robson foram assassinados no Paraná e Santa Catarina.

Investigação

Inicialmente os casos foram tratados como homicídio, porém foram identificados pertences subtraídos dos locais.  

Após investigações de alta complexidade, foram realizadas diligências para identificar o suspeito. A PCPR ainda contou com o apoio da Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC).