Operação prende suspeitos de golpe milionário em concessionária na RMC

No início da manhã desta quarta-feira (5), a Polícia Civil do Paraná (PCPR) iniciou uma operação para cumprir o mandado de prisão de sete indiciados que participaram do golpe aplicado por uma concessionária em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. O casal responsável pelo crime foi detido.

Os golpistas recebiam o carro em consignação, vendiam esses veículos e não repassavam os valores para as vítimas. Segundo o delegado Fábio Machado, da Polícia Civil, alguns automóveis foram transferidos com documentos falsos e, dessa forma, todos os despachantes que que trabalharam nesse procedimento estão sendo indiciados por uso de documento falso.

“Foram mais de R$ 1,5 milhão de prejuízo para as vítimas”,

conta o delegado.

O delegado afirmou que os dez despachantes serão ouvidos e que as investigações vão continuar: “Vamos analisar toda a documentação da concessionária, que foi encontrada dentro de uma das residências”.

Veja também:

O estabelecimento comercial fechou após os golpes e os proprietários haviam fugido. Nesta manhã, os responsáveis foram interrogados.

Todas as pessoas envolvidas no crime serão ouvidas e indiciadas pelo crime de estelionato, uso de documento falso e associação criminosa. Durante a operação, foram apreendidos armas e o carro dos suspeitos.

“Eles já tinham indícios de participação em outros golpes anteriores e outros crimes”,

diz o delegado.

Os advogados solicitaram o bloqueio das contas dos responsáveis pelo crime para buscar o ressarcimento das vítimas, de acordo com o delegado.

O golpe

A vítima anunciava o carro à venda em uma plataforma digital e os golpistas entravam em contato para que elas trouxessem o veículo até a loja. No estabelecimento, era assinado um contrato de consignação e assim que o cliente assinava, o automóvel era deixado no local.

Reprodução/Rede Massa

Os suspeitos afirmavam que em um prazo de dois a três dias realizariam a transferência do dinheiro na conta da vítima, já que ‘haviam pessoas interessadas na compra do carro’. Na sequência, os golpistas passavam o veículo para outra loja, vendiam e ficavam com o dinheiro, sem repassar aos clientes.

Até o momento, 65 vítimas foram enganadas pela concessionária.

Os clientes, ao perceberem o golpe, foram até a delegacia de São José dos Pinhais para denunciar o caso. O advogado Carlos Alberto Riskalla Filho deixou um carro para a revenda no valor de R$ 50 mil.

“A gente deixou o veículo e quando marcaram para gente vir buscar o dinheiro a loja estava fechada, trocaram de nome, nenhum carro no pátio”,

disse o advogado.

O analista de logística Emerson Carvalho também entregou o carro, na expectativa de ter o retorno de R$ 20 mil.

“Fizeram a avaliação, falaram que o preço que queríamos no carro era justo e que já tinham um comprador para o nosso veículo. Firmamos o contrato, falaram que em 15 dias eles fariam o pagamento. Deu o prazo, já não consegui mais contato”,

conta.

“Paguei o valor a vista na loja e me pediram 15 dias para efetuar a transferência pro meu nome e eu confiei na loja. Passou um mês e eu fui descobrir que o carro estava alienado no nome do dono da loja”,

conta o advogado Cícero de Oliveira.

Ele contou que teria comprado o automóvel na revendedora no valor de R$ 97 mil e que estava aguardando a regularização do veículo.