Motorista que fugiu após atropelar motoboy fica em silêncio no depoimento

Cassiane Aparecida Araújo Aires permaneceu em silêncio durante seu depoimento ao delegado Leonardo Carneiro, na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) na manhã desta sexta-feira (18). Ela dirigia o Fox que bateu contra um motoboy no último sábado (12), no bairro Rebouças, e era considerada foragida da Justiça. A mulher se apresentou à Polícia Civil na tarde de quinta-feira (17) e deve permanecer presa, enquanto a defesa entra com pedido de habeas corpus para que ela responda ao processo em liberdade.

Embora a defesa da suspeita tenha dito que ela está à disposição da Justiça para prestar os esclarecimentos e também estaria preocupada com o estado de saúde do motoboy Mozart Martins, que permanece internado, ela não respondeu a nenhuma pergunta do delegado e também se recusou a falar com a imprensa. Uma das advogadas de Cassiane disse que ela está bastante abalada com o fato e que vai dar todos os detalhes “no momento oportuno”.

O veículo Fox, que aparece nas imagens de câmeras de segurança, foi levado à Dedetran por um familiar da jovem, que é suspeita de fugir do local sem prestar socorro. A motorista, moradora de Colombo, na região metropolitana de Curitiba, era considera foragida. Ela responderá por tentativa de homicídio, omissão de socorro e fuga do local de acidente.

Reprodução/Rede Massa

O acidente

Na noite do último sábado (12), o motoboy estava a caminho de mais uma entrega na região, quando foi atingido pelo veículo que cruzou a canaleta exclusiva para ônibus e atingiu a vítima do outro lado da via. Em seguida, o Fox ocupado por mulheres deixou o local e a vítima ficou implorando por ajuda.

Em estado grave, o entregador foi encaminhado ao Hospital Cajuru, onde passou por cirurgias e permanece internado sob cuidados médicos. Segundo os médicos, Mozar sofreu onze fraturas pelo corpo e deve passar por novas cirurgias. “Foram muitas lesões, o processo de recuperação será lento.”, contou Francielle Bilinoski, esposa de Mozart.

Unindo forças

Em um ato de solidariedade, grupos de motociclistas se uniram em frente à casa do motoboy e demonstraram apoio à categoria. Eles arrecadaram mantimentos e entregaram para os familiares do motoboy, que continua se recuperando e revelou estar feliz com a atitude dos colegas. “Esse pessoal veio aqui pra aumentar a esperança de que dias melhores virão. Ele [Mozart] ficou emocionado com tudo isso”, concluiu a esposa da vítima.