Júri de acusado de matar youtuber Isabelly em Pontal do Paraná é novamente adiado

O júri popular de Éverton Vargas, acusado de matar a youtuber Isabelly Cristine dos Santos, 14 anos, em 2018, em Pontal do Paraná, foi adiado pela segunda vez. O motivo do adiamento é que não havia número suficiente de jurados para iniciar a sessão.

Segundo a advogada da família de Isabelly, Thaise Mattar Assad, quatro dos sete jurados pediram dispensa por questões pessoais e de saúde. Já o advogado de defesa de Vargas, Claudio Dalledone, afirmou que os quatro foram dispensados porque tinham pré-julgamento do caso.

Uma nova data do júri está prevista apenas para maio de 2023, mas não foi confirmada até a publicação desta reportagem.

Por causa do adiamento, a mãe de Isabelly passou mal e precisou ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Esta é a segunda vez em que o julgamento é adiado. O júri era para ter ocorrido em março, mas foi suspenso por possíveis erros processuais.

Relembre o caso

O crime aconteceu em fevereiro de 2018, quando Isabelly foi atingida por um tiro na cabeça na PR-412, na cidade do litoral do Paraná. À época, a polícia apurou que o crime teria sido cometido durante uma briga de trânsito. A jovem chegou a ser socorrida, mas morreu poucas horas depois, no hospital.

A defesa do réu, à época do crime, argumentou que ele atirou contra o veículo porque, supostamente, o motorista do carro teria ameaçado os ocupantes do veículo dirigido por Vargas. Ele foi denunciado por homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo, e seu irmão, como cúmplice no crime e embriaguez ao volante. Eles chegaram a ser presos, mas o irmão dele foi liberado menos de um ano depois e responderá apenas pelo crime de trânsito.

Já Vargas agora responde em liberdade.