Policial que atirou em clientes de posto vira réu por oito crimes

Ronaldo Massuia, policial que atirou em clientes de posto de combustíveis de Curitiba, virou réu no caso que terminou com um morto e três feridos. O Ministério Público do Paraná (MPPR) ofereceu denúncia contra o agente e a Justiça acatou o pedido por meio da 1ª Vara Privativa do Tribunal do Júri da capital.

O crime aconteceu no dia 1º de maio e terminou com a morte do fotógrafo André Fritoli. Outras três pessoas também foram baleadas, mas sobreviveram. Todo o atentado foi registrado pelas câmeras de segurança da loja de conveniência.

Conforme a denúncia aceita pela Justiça, o policial que atirou contra clientes do posto responderá por homicídio triplamente qualificado e por sete tentativas de homicídio com as mesmas qualificadoras. Além dos três feridos, outras quatro pessoas estavam na loja no momento do crime e também são considerados vítimas no caso.

Foto: Reprodução

O Poder Judiciário determinou ainda que Massuia deve continuar preso preventivamente e seguirá no Complexo Médico Penal, na cidade de Pinhais, região metropolitana de Curitiba (RMC)

O policial também responderá por peculato – quando um agente se apropria de um bem público – por usar a pistola da PF para cometer o crime. De acordo com o MPPR, ele também estava com a viatura descaracterizada da polícia no posto de combustíveis.

Mais sobre o caso