Motorista de aplicativo que buscou Thays após morte de gerente presta depoimento

O motorista de aplicativo que buscou Thays Rocha Leite no dia 28 de maio, dia em que o gerente Walter Luiz Mariano Machado foi morto com uma facada no pescoço, prestou depoimento nesta quarta-feira (22), na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Curitiba.

O homem diz que escutou a discussão entre Thays e Walter e que a briga estava relacionada ao pagamento do programa. Ele também relata que os dois estavam nervosos e que escutava mais os gritos de Walter falando para Thays sair do veículo.

Segundo o motorista, ele não viu a faca quando Thays entrou no carro. Durante o trajeto, o homem afirma que Thays apenas mencionou a briga, mas não comentou sobre a facada.

Ele também diz que viu que as pessoas em situação de rua pegaram o celular de Walter e que, nesse momento, o gerente saiu em busca do objeto roubado.

O motorista diz que não conhecia Thays e que já estava estacionado no local, pois é um ponto onde geralmente fica parado para fazer outras corridas.

Como provas de inocência, ele vai apresentar o histórico de corridas do aplicativo.

O delegado Tito Barichello não concorda com alguns pontos da versão do motorista. Ele questiona o fato de Thays dizer que entrou no carro com a faca enquanto o motorista diz não ter visto o objeto.

O carro do motorista ficou na delegacia e passará por perícia. Investigadores buscam encontrar resquícios de sangue. As investigações continuam.

Leia mais